Mostrar mensagens com a etiqueta cavaco silva. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta cavaco silva. Mostrar todas as mensagens

6 de dezembro de 2013

Emendar a mão


Por toda a parte se ouvem manifestos de pesar pela morte de um grande homem!
Até Cavaco Silva, que em 1987 votou contra a resolução da ONU que se solidarizava com a libertação de Mandela, endereçou uma mensagem de condolências, onde se referia a Mandiba como uma "figura maior da África do Sul e da História mundial".

4 de novembro de 2013

Esquecimento seletivo


Acho extraordinário que Cavaco Silva continue a insistir no consenso entre as forças políticas do nosso país, no que diz respeito ao Orçamento do estado, porquanto, se isso não acontecer, passamos a ser o único na Europa em que não existe entendimento em matérias tão sensíveis, sobretudo perante a tirania dos mercados. Esquece-se porém, que em Portugal sempre andámos desalinhados com as políticas dos países da Europa. Basta olharmos, por exemplo, para as diferenças entre o nosso salário mínimo e aquele que se paga em França, em Espanha e, imagine-se, na Grécia, para compreendermos o porquê da nossa constante insatisfação, seja com este, seja com qualquer um dos orçamentos que se apresente com objetivo claro de agradar aos credores, sem cuidar de assegurar o bem estar dos que por cá ainda teimam em viver.

18 de outubro de 2013

5 de abril de 2013

"Temos de respeitar os compromissos que assumimos com as instituições internacionais"


Também concordo! Mas convém não esquecer aqueles que andam à solta depois de se terem abotoado com milhões de euros, sem que a justiça lhes ponha a mão em cima e que a Lei tão bem protege.

[imagem]

10 de março de 2013

Roteiro perdido


Quem ler o prefácio do Roteiro VII, facilmente compreenderá o porquê do incompreendido percurso do nosso Presidente da República. Só não compreenderá tão facilmente o motivo que leva o mesmo Presidente a dar preferência a uma estabilidade que cria tanta instabilidade.

19 de fevereiro de 2013

Completely lost


Que procuras tu Cavaco, quando aquilo que deves fazer está à vista de toda a gente?

30 de julho de 2012

Negócio de família


Há catorze anos custou 55 milhões de euros e há três dias foi vendido por 21 milhões de euros ao genro do Presidente Cavaco.
Em vez de venderem um património que era de todos, cuja rentabilidade foi confirmada por Assunção Cristas, porque não pensaram em contratar os serviços de Luiz Montez para o dinamizar, na certeza de que a sua qualidade como empresário o iria tornar ainda mais rentável?
Ah, estava a esquecer-me que o Estado não tem vocação empresarial e, daqui a nada, já só conta para cobrar os impostos que lhe servem de sustento.

28 de maio de 2012

Recados do oriente


De facto o investimento estrangeiro em Portugal, sobretudo asiático, desde que Cavaco Silva se tornou político profissional, tem sido de uma dimensão tal, que ofusca qualquer outro. Não fossem a EDP e a REN, serem um mais que provável trampolim para os chineses no mercado da América do Sul, nem o cheirávamos.

26 de abril de 2012

Uma questão de imagem


Já que nos furtámos ao desafio de sermos competitivos pela originalidade e qualidade dos nossos produtos em benefício dos mercados emergentes, tão cobiçados e desejados, ao menos que nos tornemos atrativos por sermos um dos países europeus onde pior se paga aos que trabalham.

21 de janeiro de 2012

Campanha de Solidariedade


Para o homem que sempre apelou à solidariedade do Povo português, chegou a hora de esse mesmo Povo, ser solidário para com ele.

17 de outubro de 2011

Hoje, é o Dia do Princípio do Fim


Hoje será entregue no Parlamento, o Orçamento do Estado para o ano de 2012 . É um dos orçamentos que mais vai penalizar a vida dos portugueses e aquele que se destina a "varrer", de uma vez por todas, e fazendo fé nas palavras do nosso primeiro-ministro, será o mais "severo" e "difícil de aceitar".
Não tenho dúvidas acerca da severidade dos dias que se aproximam, nem da eficácia do dito orçamento. Só não acredito que os carrascos que hoje pretendem culpar os últimos responsáveis pelo caos das contas públicas, sejam assim tão isentos da culpa, tanto mais que agora se sabe que parte desse sacrifício se destina a pagar o novo buraco de 350 milhões de euros descoberto no BPN, instituição bancária que, como bem sabemos, tão bem serviu as elites do PSD.

6 de setembro de 2011

São Bento avisa Belém

Conhecida que é a simpatia que nutre o nosso presidente da república pelas redes sociais, mais concretamente pelo facebook, não será de estranhar que, qualquer dia e perante o sério e velado aviso feito pelo nosso primeiro-ministro aos internautas do país, os inquilinos do Palácio de Belém fiquem privados de se manifestarem naquela rede social.

11 de julho de 2011

O que se diz, e quando se diz


Daniel Oliveira tocou na ferida. O que há um ano não passava de uma análise de mercado, feita por quem conhecia muito bem as contas públicas do nosso país e, por isso mesmo, perfeitamente legítima e acatável, hoje, essa mesma análise, é considerada como inaceitável, terrorista e, por isso mesmo, uma afronta à estabilidade económica da União Europeia.

8 de junho de 2011

Agendas


A necessidade que Portugal tem, em se fazer representar em Bruxelas, no próximo dia 23, pelo novo primeiro-ministro é tanta que, para já, a agenda estratégica do novo governo, esta a ser estabelecida pelo Presidente da República.

11 de abril de 2011

Em nome da transparência


Para quem não queria nada com os partidos políticos, chegando mesmo manifestar-se deveras preocupado com a imagem que projectavam da democracia, até que nem demorou muito a aceitar um cargo partidário.
Será que o convite formulado por Passos Coelho a Fernando Nobre, paladino da transparência, tem alguma coisa a ver com a mudança de mentalidades que o proto-candidato a primeiro-ministro pretende impor na próxima classe dirigente do nosso país, ou foi mais um exemplo do tipo "olha para o eu digo e não para o que eu faço"? Se for este último até fico mais descansado, porque assim, chego à conclusão que a candidatura de Fernando Nobre à Presidência da República, foi um fait-divers que visava fragilizar as candidaturas de esquerda e assim pontenciar a de Cavaco Silva. Como resultou, eis que veio agora o pagamento.

23 de março de 2011

Síndroma alentejado


Se, em 13 dias, Cavaco Silva não conseguiu reagir à crise política que entretanto se instalou em Portugal, colocando-o novamente num impasse que nos vai prejudicar a todos, imagine-se de quantos mais necessitará para marcar novas eleições e assim empossar o primeiro-ministro do seu partido predileto.

10 de março de 2011

Portugal imerso


O mais recente discurso de Cavaco Silva, aos jovens no NRP Sagres, fez-me lembrar o filme "Os Intocáveis" quando, a dada altura, Jim Malon (Sean Connery) disse a um jovem polícia, que os bons frutos (polícias), aqueles que realmente ainda podem ser moldados à luz de uma sociedade respeitadora e geradora de princípios, são os que colhemos directamente da árvore. 
Assim me pareceu Cavaco. Desiludido com os que conduzem os destinos da nação, vira-se para aqueles que, segundo ele e tal como ele, são a única réstia de esperança neste imenso mar de problemas, para onde os Intocáveis que nos governam nos arrastaram.

9 de fevereiro de 2011

Diatribes



Com o veto à lei que obriga à prescrição, pelos médicos, do medicamento pelo princípio activo, Cavaco Silva inicia assim o seu último mandato como Presidente da República. Poderão, por isso, estar abertas as hostilidades entre Belém e São Bento, e dessa forma, estar condicionada a acção legislativa do governo.
A quem aproveita tudo isso não sei, mas tenho a certeza que, ao contrário de situações anteriores em que o Presidente da República se substituía à oposição, na defesa dos interesses dos cidadãos que supostamente estariam a ser prejudicados pelas medidas tomadas pelo governo, Cavaco Silva estará mais interessado em defender os interesses corporativos da classe médica, a qual, caso a lei não fosse vetada, seria bastante prejudicada, pelos favores que, hipoteticamente, lhes são prestados pelas empresas farmacêuticas.