Mostrar mensagens com a etiqueta bpn. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta bpn. Mostrar todas as mensagens

15 de julho de 2013

Assim vale a pena negociar



Já está morto e enterrado, mas ainda assim continua a surpreender pelos montantes que o Estado português, e o povo, ainda lhe devem. Mais um gritante exemplo em que a culpa morreu solteira.

3 de fevereiro de 2013

Nem aqueceu o lugar e já está a levar na cabeça


E o que mais dói é o facto de o terem escolhido para secretariar o empreendedorismo a competitividade e a inovação, quando o homem já só quer é descanso.

[imagem]

17 de outubro de 2011

Hoje, é o Dia do Princípio do Fim


Hoje será entregue no Parlamento, o Orçamento do Estado para o ano de 2012 . É um dos orçamentos que mais vai penalizar a vida dos portugueses e aquele que se destina a "varrer", de uma vez por todas, e fazendo fé nas palavras do nosso primeiro-ministro, será o mais "severo" e "difícil de aceitar".
Não tenho dúvidas acerca da severidade dos dias que se aproximam, nem da eficácia do dito orçamento. Só não acredito que os carrascos que hoje pretendem culpar os últimos responsáveis pelo caos das contas públicas, sejam assim tão isentos da culpa, tanto mais que agora se sabe que parte desse sacrifício se destina a pagar o novo buraco de 350 milhões de euros descoberto no BPN, instituição bancária que, como bem sabemos, tão bem serviu as elites do PSD.

20 de dezembro de 2010

Presente envenenado


Quando vejo algum governante, de olhar cândido e pesaroso, a dirigir-se aos seus "súbditos" a pedir sacrifícios, devido à crise que inevitavelmente se abateu sobre o seu "reino", lembro-me sempre que esse sacrifício servirá para tudo, menos para resolver os reais problemas com que esse "reino" se debate. Depois de concretizados esses sacrifícios, pensado eu que seriam suficientes para melhorar a situação, eis que surgem notícias que me dão a volta ao estômago, tão só porque  porque me apercebo que afinal, há dinheiro disponível para não nos sacrificar em demasia e que a contenção apenas deve ter lugar na mesa daqueles que estão habituados a viver com pouco, pois só assim não estranharão a ausência de fartura.

15 de dezembro de 2010

Rabos de palha


Numa altura em que se contam espingardas para mais uma batalha eleitoral, o silêncio de Oliveira Costa perante o tribunal foi acolhido com agrado, especialmente pela candidatura de Cavaco Silva, não fossem elas ensombrar a campanha daquele que nele confiou para secretário de estado.