26 de fevereiro de 2016

Não havia necessidade


Não me causa qualquer inquietação saber que as crianças abandonadas são adotadas por pessoas do mesmo sexo, pois considero que o amor, a dedicação e o carinho que ambas podem transmitir, são muito mais importantes do que a indiferença das instituições do Estado que as acolhem e ignoram. Mas também não sou insensato ao ponto de considerar que o tema não é polémico e que não causa alguma irritação e mau-estar, sobretudo junto de alguns setores da sociedade mais conservadora e mais ligada à religião. Porém, o facto de se conseguir ultrapassar a questão legalmente, não implica que os "vencedores" provoquem os "vencidos" a ponto de os afrontar com aquilo que para eles é o bem mais precioso.

Sem comentários: