1 de outubro de 2015

Erros calculados


Claro que a Rússia apenas pretendia luz verde para começar a bombardear os inimigos de Bashar al-Assad, com o pretexto de que os visados eram os combatentes do Estado Islâmico. Se a comunidade internacional vai reagir a esse "erro de cálculo" não sei, mas que não vai ser capaz de travar o ímpeto belicista de um dos maiores aliados do ditador sírio, disso tenho a certeza.

Sem comentários: