17 de dezembro de 2013

A pedra na engrenagem


O maior desígnio do nosso primeiro-ministro está em alterar a Constituição do nosso país a qual, segundo diz, obstaculiza o crescimento da economia. Estará, portanto, tão certo quanto Salazar esteve, a partir do momento em que se apoiou na Constituição de 1933 para restruturar uma economia que encontrou demasiado enfranquecida pela instabilidade dos governos republicanos. Claro que deixámos de ter a liberdade que nos permitia reclamar melhores condições de trabalho e de vida, mas o que é isso comparado com o progresso económico de um país e com o enriquecimento daqueles de cuja força empresarial necessitamos.

Sem comentários: