11 de setembro de 2011

Feridas ainda por sarar


Há 10 anos poucos acreditavam que alguém fosse suficientemente louco ao ponto de ferir o orgulho do gigante americano. Aconteceu e o resultado dessa loucura ainda perdura na vida de muitos daqueles que perderam um pouco de si naquele trágico momento e nos anos que se lhe seguiram. 
Se o ataque às torres gémeas inverteu o curso da história, disso não haverá dúvidas, como dúvidas também não haverá quanto à extrema vulnerabilidade de um país que, até ali, se julgava protegido de ataques terroristas.
Desde então, os E.U.A encetaram uma luta sem quartel a todas as organizações que consideraram e consideram terroristas, levando atrás de si um rasto de destruição e dor, sem que dessa "cruzada" tenha, aparentemente, resultado alguma vantagem, sobretudo para aqueles que continuam a ser vítimas dessa interminável guerra, que só poderá considerar-se finda quando os superiores interesses dos povos forem colocados acima dos interesses económicos das nações.

Sem comentários: