31 de agosto de 2011

Cortar depressa e a direito

A facilidade com que o governo vai anunciando novos cortes na despesa, menos apoios sociais e novos aumentos dos impostos é tão grande, que até parece que não vive ninguém neste país. 
A caminharmos a este ritmo, em pouco tempo nada existirá para dar aos mais necessitados, porque, tirando um ou outro caso, poucos conseguirão resistir a tantas medidas de austeridade, que somente visam prejudicar aqueles que, ainda assim, vão conseguindo obter algum rendimento.

2 comentários:

Anónimo disse...

As medidas de austeridade são SÓ em dobro do que previsto no memorando da Troika.
É muito ambicioso este governo!

Fusível Ativo disse...

Também está nas nossas mãos não aceitar. Estes cortes acontecem porque, para além do governo ser um pau mandado, nós somos um povo comodista. Somos os únicos que ainda não saímos à rua para protestar, algo que já aconteceu em Espanha, Itália, Grécia, França, etc...