5 de abril de 2011

Virar à esquerda


Não é uma ideia pioneira, mas não deixa de ser interessante, esta quase vontade de união por parte da esquerda considerada mais radical. Apesar de considerar que as viragens para os extremos, além de serem, em alguns momentos, atraentes, também poderão ser perniciosas, não acreditando porém que nos dias de hoje exista a possibilidade de descambarmos para o radicalismo atroz. De todo o modo, a concretizar-se, sempre calará o pio ao insuportável Paulo Portas e dará mais força parlamentar àqueles que se dizem defensores dos mais carenciados da sociedade portuguesa.
Se vale ou não a pena acreditar, caberá a cada um decidir, mas estou em crer que tal posição poderá ser benéfica para a democracia da nosso país e, por essa via, refrear os ímpetos despesistas dos que ocupam os lugares de decisão do Estado.

Sem comentários: