25 de março de 2010

A culpa central




Apressadamente o P.S.D. prepara-se para o poder. Contam-se espingardas para tomar de assalto o parlamento, através de eleições leia-se.
Tão arredados que estiveram no poder, dão a última esperança ao governo moribundo de Sócrates, aprovando-lhe o P.E.C., para depois clamarem por justiça, só justificável pelo simples facto de permitirem que a sua oposição mais semelhante continue a sua passagem errática pelos corredores do parlamento. Curiosamente pedem aquilo que até aqui abominavam nas mãos dos outros. A maioria absoluta, para governar, durante quatro anos, em perfeita estabilidade, pois só assim conseguirão tirar Portugal do "charco" em que se encontra. A história repete-se, mais uma vez, e mais uma vez Portugal vai-se manter ao centro, com uma aliança aqui outra ali, mas sempre no virtuoso centro em que permanentemente insiste em se manter. A culpa? A culpa é dos que lá estiveram!

Sem comentários: